Buscar
  • Anderson Mendes

tristeza e depressão, qual a diferença?

Atualizado: Mai 8

Uma das principais perguntas feitas ao Google a respeito da Depressão: Qual a diferença entre tristeza e depressão?


Humanos, este artigo têm como objetivo tentar esclarecer uma das dúvidas mais frequentes a respeito do universo da depressão: Tristeza versus Depressão.

E além de mencionar a respeito das diferenças entre estes dois "seres" temidos, me permito inserir um terceiro elemento que acredito ser relevante para esta discussão: a insatisfação.


Bora lá?


Pois bem, a insatisfação talvez seja a mais comum nos dias atuais onde por exemplo o incentivo ao consumo desenfreado nos faz sentir sempre com falta de alguma coisa. E aí a tendência é achar que o nosso carro não é tão bom quanto nos parece, que o nosso celular está desatualizado para todas as últimas tecnologias lançadas, que o nosso guarda roupa precisa de uma repaginada, porque esta fora da moda e que podíamos estar mais bonitos comprando as novidades do mundo da estética, e por ai vai...

Enfim, ficamos insatisfeitos porque não recebemos no trabalho a promoção que queríamos para poder desfrutar de todas estas coisas ou então porque o nosso cônjuge não nos surpreendeu com a nossa comida preferida, porque o amigo não nos convidou para a festa que “bombou” no Instagram, e ainda quando as expectativas que nós colocamos nas pessoas e/ou nas coisas, nos desagradam e não aconteceram como desejamos... dai sim nos sentimos insatisfeitos.


Já com a tristeza é diferente, ela acontece por algum motivo relevante que rouba a nossa alegria, tira a nossa paz e nos deixa magoados ou melancólicos. Geralmente com fatos inesperados, que acontecem no nosso presente, como por exemplo: a morte de um ente querido ou mesmo pelo término de um relacionamento.

Tanto nos casos de insatisfação ou de tristeza, o estado emocional é temporário, ou seja, passageiro. A insatisfação é fácil de identificar e resolver, desde que se resolva o motivo dela. A tristeza dura um pouco mais, até que a pessoa se reestruture e que a sua vida volte à normalidade.

Existem ainda situações de luto mal vivido, onde lamenta-se a morte por anos e anos, sem se conformar com a perda. O luto não vivido, não chorado, pode se transformar num dos motivos para um quadro de depressão.

É fundamental saber que insatisfação, tristeza e depressão não estão no mesmo nível porque as duas primeiras são estados emocionais e passageiros que podem ser solucionadas com o tempo, enquanto com a depressão não é assim! A depressão não é como o vinho, que fica melhor com o tempo. Muito pelo contrário, ela só piora juntamente com a nossa negligência ao enfrentá-la. Portanto, é preciso ser diagnosticada e tratada o quanto antes pois é uma doença.


"Ela" fica ali, dia após dia, consumindo a sua energia, roubando a sua alegria e o prazer em viver.

Definitivamente, o que caracteriza a depressão é a ausência de sentimentos. Ela é coberta por um véu que separa você do mundo das emoções.


Se for insatisfação, verifique se você precisa mesmo atender aos seus desejos. Se for tristeza, acolha a sua dor e respeite o tempo de se refazer. Agora se for depressão, fique atento e reaja à ela. Procure um especialista, inicie os tratamentos e retome acesso ao seu lado saudável.

Se você não tiver atitude, saiba que possivelmente "ela" se sentirá cada vez mais confortável e provavelmente não irá embora.


Depressão não é frescura! é uma doença e precisa ser tratada.


#educaçãoemocional #depressão #depressãonãoéfrescura


Anderson Mendes é consultor em saúde mental e bem-estar emocional, autor do livro e da série Depressão não é frescura! ao lado de nomes como: Mário Sérgio Cortella, Clóvis de Barros, Monja Coen, Márcio Atalla, entre outros.)

30 visualizações
  • YouTube
  • Instagram
  • Facebook

INSTITUTO GENTE FELIZ © 2020